quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Olhe meninas que idéia bárbara...Bolsa de Furoshiki - Artesanato Sabor de vida


Gente teve um programa da jornalista Leda Nagli,que uma artesã mostrou e ela não deu muita importância e não foi bem explicado como fazia,fiquei "doida" pra saber e fui procurar na net e Achei......,aí está pra vcs também fazerem achei o Máximo,espero que também gostem.

******************************************************************

PARA REFLEXÃO...

Às vezes, as correntes que nos impedem de sermos livres são mais mentais do que físicas.

Fonte:Recebí por email
************************************************************************



O FRASCO DE MAIONESE E CAFÉ

Quando as coisas na vida parecem demasiado,quando 24 horas por dia
não são suficientes...Lembre-se do frasco de maionese e do café.

Um professor, durante a sua aula de filosofia sem dizer uma palavra, pega num frasco de maionese e esvazia-o...tirou a maionese e encheu-o com bolas de golf.

A seguir perguntou aos alunos se o Frasco estava cheio. Os estudantes responderam sim.

Então o professor pega numa caixa cheia de pedrinhas e mete-as no frasco de maionese. As pedrinhas encheram os espaços vazios entre as bolas de golf.

O professor voltou a perguntar aos alunos se o frasco estava cheio, e eles voltaram a dizer que sim.

Então...o professor pegou noutra caixa...uma caixa cheia de areia e esvaziou-a para dentro do frasco de maionese. Claro que a areia encheu todos os espaços vazios e uma vez mais o pofessor voltou a perguntar se o frasco estava cheio. Nesta ocasião os estudantes responderam em unânime "Sim !".

De seguida o professor acrescentou 2 xícaras de café ao frasco e claro que o café preencheu todos os espaços vazios entre a areia. Os estudantes nesta ocasião começaram a rir-se...mas repararam que o professor estava sério e disse-lhes:

'QUERO QUE SE DÊEM CONTA QUE ESTE FRASCO REPRESENTA

A VIDA'.

As bolas de golf são as coisas Importantes:

como a FAMÍLIA, a SAÚDE, os AMIGOS, tudo o que você AMA DE VERDADE.

São coisas, que mesmo que se perdessemos todo o resto, nossas vidas continuariam cheias.


As pedrinhas são as outras coisas

que importam como: o trabalho, a casa, o carro, etc.

A areia é tudo o demais,

as pequenas coisas.

'Se puséssemos 1º a areia no frasco, não haveria espaço para as pedrinhas nem para as bolas de golf.

O mesmo acontece com a vida'.

Se gastássemos todo o nosso tempo e energia nas coisas pequenas, nunca teríamos lugar para as coisas realmente importantes.

Preste atenção às coisas que são cruciais para a sua Felicidade.

Brinque ensinando os seus filhos,

Arranje tempo para ir ao medico,

Namore e vá com a sua/seu namorado(a)/marido/mulher jantar fora,

Dedique algumas horas para uma boa conversa e diversão com seus amigos

Pratique o seu esporte ou hobbie favorito.

Haverá sempre tempo para trabalhar, limpar a casa, arrumar o carro...

Ocupe-se sempre das bolas de golf 1º, que representam as coisas que realmente importam na sua vida.

Estabeleça suas prioridades, o resto é só areia...

Porém, um dos estudantes levantou a mão e perguntou o que representaria, então, o café.


O professor sorriu e disse:

"...o café é só para vos demonstrar, que não importa o quanto a nossa vida esteja ocupada, sempre haverá espaço para um café com um amigo. "

Fonte:recebí por e-mail.
Este texto circula pela internete,mtas de vcs já devem ter lido,mas acho que é sempre bom relê-lo nos faz pensar no modo como às vezes levamos nosso relacionamento com as pessoas que amamos...
******************************************************************************

"Saúde Mental"

Rubem Alves.

“Fui convidado a fazer uma preleção sobre saúde mental. Os que me convidaram supuseram que eu, na qualidade de psicanalista, deveria ser um especialista no assunto. E eu também pensei. Tanto que aceitei.

Mas foi só parar para pensar para me arrepender. Percebi que nada sabia.Eu me explico.Comecei o meu pensamento fazendo uma lista das pessoas que, do meu ponto de vista, tiveram uma vida mental rica e excitante, pessoas cujos livros e obras são alimento para a minha alma. Nietzsche, Fernando Pessoa, Van Gogh, Wittgenstein, Cecília Meireles, Maiakovski. E logo me assustei. Nietzsche ficou louco. Fernando Pessoa era dado à bebida. Van Gogh matou-se.Wittgenstein alegrou-se ao saber que iria morrer em breve: não suportava mais viver com tanta angústia. Cecília Meireles sofria de uma suave depressão crônica. Maiakoviski suicidou-se.

Essas eram pessoas lúcidas e profundas que continuarão a ser pão para os vivos muito depois de nós termos sido completamente esquecidos.Mas será que tinham saúde mental? Saúde mental, essa condição em que as idéias comportam-se bem, sempre iguais, previsíveis, sem surpresas, obedientes ao comando do dever, todas as coisas nos seus lugares, como soldados em ordem unida, jamais permitindo que o corpo falte ao trabalho, ou que faça algo inesperado; nem é preciso dar uma volta ao mundo num barco a vela, basta fazer o que fez a Shirley Valentine (se ainda não viu, veja o filme) ou ter um amor proibido ou, mais perigoso que tudo isso, a coragem de pensar o que nunca pensou.

Pensar é uma coisa muito perigosa… Não, saúde mental elas não tinham… Eram lúcidas demais para isso.Elas sabiam que o mundo é controlado pelos loucos e idosos de gravata.Sendo donos do poder, os loucos passam a ser os protótipos da saúde mental.Claro que nenhum dos nomes que citei sobreviveria aos testes psicológicos a que teria de se submeter se fosse pedir emprego numa empresa. Por outro lado, nunca ouvir falar de político que tivesse depressão. Andam sempre fortes em passarelas pelas ruas da cidade, distribuindo sorrisos e certezas.

Sinto que meus pensamentos podem parecer pensamentos de louco e por isso apresso-me aos devidos esclarecimentos.Nós somos muito parecidos com computadores. O funcionamento dos computadores, como todo mundo sabe, requer a interação de duas partes. Uma delas chama-se hardware, literalmente “equipamento duro”, e a outra denomina-se software, “equipamento macio”. Hardware é constituído por todas as coisas sólidas com que o aparelho é feito. O software é constituído por entidades “espirituais” – símbolos que formam os programas e são gravados nos disquetes. Nós também temos um hardware e um software.

O hardware são os nervos do cérebro, os neurônios, tudo aquilo que compõe o sistema nervoso. O software é constituído por uma série de programas que ficam gravados na memória. Do mesmo jeito como nos computadores, o que fica na memória são símbolos, entidades levíssimas, dir-se-ia mesmo “espirituais”, sendo que o programa mais importante é a linguagem.
Um computador pode enlouquecer por defeitos no hardware ou por defeitos no software.Nós também. Quando o nosso hardware fica louco há que se chamar psiquiatras e neurologistas, que virão com suas poções químicas e bisturis consertar o que se estragou. Quando o problema está no software, entretanto, poções e bisturis não funcionam.

Não se conserta um programa com chave de fenda.Porque o software é feito de símbolos e, somente símbolos, podem entrar dentro dele.Ouvimos uma música e choramos. Lemos os poemas eróticos de Drummond e o corpo fica excitado. Imagine um aparelho de som. Imagine que o toca-discos e os acessórios, o hardware, tenham a capacidade de ouvir a música que ele toca e se comover. Imagine mais, que a beleza é tão grande que o hardware não a comporta e se arrebenta de emoção!

Pois foi isso que aconteceu com aquelas pessoas que citei no princípio:
A música que saia de seu software era tão bonita que seu hardware não suportou… Dados esses pressupostos teóricos, estamos agora em condições de oferecer uma receita que garantirá, àqueles que a seguirem à risca, “saúde mental” até o fim dos seus dias.

Opte por um software modesto. Evite as coisas belas e comoventes.
A beleza é perigosa para o hardware. Cuidado com a música… Brahms, Mahler, Wagner, Bach são especialmente contra-indicados. Quanto às leituras, evite aquelas que fazem pensar. Tranquilize-se há uma vasta literatura especializada em impedir o pensamento. Se há livros do doutor Lair Ribeiro, por que se arriscar a ler Saramago?

Os jornais têm o mesmo efeito. Devem ser lidos diariamente. Como eles publicam diariamente sempre a mesma coisa com nomes e caras diferentes, fica garantido que o nosso software pensará sempre coisas iguais. E, aos domingos, não se esqueça do Silvio Santos e do Gugu Liberato.
Seguindo essa receita você terá uma vida tranqüila, embora banal.
Mas como você cultivou a insensibilidade, você não perceberá o quão banal ela é. E, em vez de ter o fim que tiveram as pessoas que mencionei, você se aposentará para, então, realizar os seus sonhos. Infelizmente, entretanto, quando chegar tal momento, você já terá se esquecido de como eles eram…”

Rubem Alves,trecho de “Sobre o tempo e a eternidade” - Campinas: Ed.Papirus,1996.
Fonte:Recebí por e-mail.
***********************************************************************


DEFICIÊNCIAS

- Mario Quintana

"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

"Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui.

"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

"Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

"Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

"Diabético" é quem não consegue ser doce.

"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer. E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
"Miseráveis" são todos que não conseguem falar com Deus.

"A amizade é um amor que nunca morre. "


Fonte:Recebí por e-mail/
Acho que já postei aqui este texto do M.Quintana ma´s tem sempre alguém q. ainda não leu e é sempre bom relermos...
*****************************************************************************




Insubstituível ...

Na sala de reunião de uma multinacional o diretor nervoso fala com sua equipe de gestores.

Agita as mãos, mostra gráficos e, olhando nos olhos de cada um ameaça: "ninguém é insubstituível" .

A frase parece ecoar nas paredes da sala de reunião em meio ao silêncio.

Os gestores se entreolham, alguns abaixam a cabeça.

Ninguém ousa falar nada.

De repente um braço se levanta e o diretor se prepara para triturar o atrevido:

- Alguma pergunta?

- Tenho sim.

-E Beethoven ?

- Como? - o encara o diretor confuso.

- O senhor disse que ninguém é insubstituível e quem substituiu Beethoven?

Silêncio.....

O funcionário fala então:

- Ouvi essa estória esses dias contada por um profissional que conheço e achei muito pertinente falar sobre isso.

Afinal as empresas falam em descobrir talentos, reter talentos, mas, no fundo continuam achando que os profissionais são peças dentro da organização e que, quando sai um, é só encontrar outro para por no lugar.

Quem substituiu Beethoven? Tom Jobim? Ayrton Senna? Ghandi? Frank Sinatra? Garrincha? Santos Dumont? Monteiro Lobato? Elvis Presley? Os Beatles? Jorge Amado? Pelé? Paul Newman? Tiger Woods? Albert Einstein? Picasso? Zico? etc...

Todos esses talentos marcaram a história fazendo o que gostam e o que sabem fazer bem, ou seja, fizeram seu talento brilhar. E, portanto, são sim insubstituíveis.

Cada ser humano tem sua contribuição a dar e seu talento direcionado para alguma coisa.

Está na hora dos líderes das organizações reverem seus conceitos e começarem a pensar em como desenvolver o talento da sua equipe focando no brilho de seus pontos fortes e não utilizando energia em reparar seus 'erros/ deficiências' .

Ninguém lembra e nem quer saber se Beethoven era surdo , se Picasso era instável , Caymmi preguiçoso , Kennedy egocêntrico, Elvis paranóico ...

O que queremos é sentir o prazer produzido pelas sinfonias, obras de arte, discursos memoráveis e melodias inesquecíveis, resultado de seus talentos.

Cabe aos líderes de sua organização mudar o olhar sobre a equipe e voltar seus esforços em descobrir os pontos fortes de cada membro. Fazer brilhar o talento de cada um em prol do sucesso de seu projeto.

Se seu gerente/coordenador , ainda está focado em 'melhorar as fraquezas' de sua equipe corre o risco de ser aquele tipo de líder/ técnico, que barraria Garrincha por ter as pernas tortas, Albert Einstein por ter notas baixas na escola, Beethoven por ser surdo. E na gestão dele o mundo teria perdido todos esses talentos.

Seguindo este raciocínio, caso pudessem mudar o curso natural, os rios seriam retos não haveria montanha, nem lagoas nem cavernas, nem homens nem mulheres, nem sexo, nem chefes nem subordinados . . . apenas peças.

Nunca me esqueço de quando o Zacarias dos Trapalhões 'foi pra outras moradas'. Ao iniciar o programa seguinte, o Dedé entrou em cena e falou mais ou menos assim: "Estamos todos muito tristes com a 'partida' de nosso irmão Zacarias... e hoje, para substituí-lo, chamamos:... . Ninguém ... pois nosso Zaca é insubstituível"

Portanto nunca esqueça: Você é um talento único... com toda certeza ninguém te substituirá!

"Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo..., mas posso fazer alguma coisa. Por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso."

"No mundo sempre existirão pessoas que vão te amar pelo que você é..., e outras..., que vão te odiar pelo mesmo motivo..., acostume-se a isso..., com muita paz de espírito. ..".

É bom para refletir e se valorizar!
Fonte:recebí por email.
*****************************************************************



O Sotaque Das Mineiras...

SÃO COISAS QUE SÓ TEM AQUI UAI!





Felipe Peixoto Braga Netto afirma que não é jornalista, não é publicitário, não é, enfim, literariamente falando, muita coisa, segundo suas próprias palavras.
Alagoano, mora em Belo Horizonte e ama Minas Gerais.


A crônica abaixo foi extraída do livro dele,

'As coisas simpáticas da vida', publicada pela "Landy Editora", São Paulo (SP)

"O SOTAQUE DAS MINEIRAS"


O sotaque das mineiras deveria ser ilegal, imoral ou engordar...
Afinal, se tudo que é bom tem um desses horríveis efeitos colaterais, como é que o falar, sensual e lindo das moças de Minas ficou de fora?

Se uma mineira, falando mansinho, me pedir para assinar um contrato, doando tudo que tenho, sou capaz de perguntar:
- 'só isso?'.
Assino, achando que ela me faz um favor...


Eu sou suspeitíssimo.

Confesso: esse sotaque me desarma.
Certa vez quase propus casamento à uma menina que me ligou por engano, só pelo sotaque.


Os mineiros têm um ódio mortal das palavras completas.
Preferem, sabe-se lá por que, abandoná-las no meio do caminho.
Não dizem: pode parar, dizem: 'pó parar'

Não dizem: onde eu estou?, dizem: 'onde queu tô.'
Os não-mineiros, ignorantes nas coisas de Minas, supõem, precipitada e levianamente, que os mineiros vivem - lingüisticamente falando - apenas de uais, trens e sôs.


Digo-lhes que não.

Mineiro não fala que o sujeito é competente em tal ou qual atividade. Fala que ele é bom de serviço.

Pouco importa que seja um juiz, um jogador de futebol ou um ator de filme pornô.
Se der no couro - metaforicamente falando, claro - ele é bom de serviço.

Faz sentido...


Mineiras não usam o famosíssimo tudo bem.

Sempre que duas mineiras se encontram, uma delas há de perguntar pra outra: 'cê tá boa?'.

Para mim, isso é pleonasmo.
Perguntar para uma mineira se ela tá boa é desnecessário...


Há outras.

Vamos supor que você esteja tendo um caso com uma mulher casada.
Um amigo seu, se for mineiro, vai chegar e dizer:

- Mexe com isso não, sô (leia-se: sai dessa, é fria, etc).
O verbo 'mexer', para os mineiros, tem os mais amplos significados.
Quer dizer, por exemplo, trabalhar.

Se lhe perguntarem com o que você mexe, não fique ofendido.

Só querem saber o seu ofício.


Os mineiros também não gostam do verbo conseguir.

Aqui ninguém consegue nada.
Você não dá conta.

Sôcê (se você) acha que não vai chegar a tempo, você liga e diz:

'- Aqui, não vou dar conta de chegar na hora, não, sô.'


Esse 'aqui' é outra delícia que só tem aqui.

É antecedente obrigatório, sob pena de punição pública, de qualquer frase.

É mais usada, no entanto, quando você quer falar e não estão lhe dando muita atenção: é uma forma de dizer 'olá, me escutem, por favor'.
É a última instância antes de jogar um pão de queijo na cabeça do interlocutor.


Mineiras não dizem 'apaixonado por'.

Dizem, sabe-se lá por que, 'apaixonado com'.
Soa engraçado aos ouvidos forasteiros.

Ouve-se a toda hora: 'sou doida com ele' (ele, no caso, pode ser você, um carro, um cachorro).


Eu preciso avisar à língua portuguesa que gosto muito dela, mas prefiro, com todo respeito, A MINEIRA.

Nada pessoal .Aqui certas regras não entram. São barradas pelas montanhas.


Por exemplo: em Minas, se você quiser falar que precisa ir a um lugar, vai dizer:

- 'Eu preciso de ir..'
Onde os mineiros arrumaram um tal 'de', aí no meio, tipo :

- Eu preciso de ir alí. Mas ó não me perguntem por que!
Mas que ele existe, existe.

Asseguro que sim, com escritura lavrada em cartório.


No supermercado, o mineiro não faz muitas compras, ele compra um ''tanto'' de coisa...
O supermercado não estará lotado, ele terá um ''tanto'' de gente.
Se a fila do caixa não anda, é porque está ''agarrado'' lá na frente.
Se, saindo do supermercado, a mineirinha vir um mendigo e ficar com pena, suspirará:

'- Ai, gente, que dó...'

É provável que a essa altura o leitor já esteja apaixonado pelas mineiras...



Devo dizer também, que mineiro não arruma briga, mineiro 'caça confusão'.

- Não vem caçar confusão pro meu lado''!

Se você quiser dizer que tal sujeito é arruaceiro, é melhor falar, para se fazer entendido, que ele ' vive caçando confusão'.

Ah, e tem o 'Capaz...'
Se você propõe algo a uma mineira, ela diz: 'capaz' !!!
Vocês já ouviram esse 'capaz'?
É lindo. Quer dizer o quê?
Sei lá, quer dizer 'ce acha que eu faço isso'!? - com algumas toneladas de ironia...



Se você dizer que é apaixonado pela Camila Pitanga, ela dirá:

- 'ô tenho dó dôcê'.
Entendeu? Não? Deixa para lá.

É parecido com o 'nem...' . Já ouviu o 'nem...'?
Completo ele fica: '- Ah, nem...'

O que significa?

Significa, amigo leitor, que a mineira que o pronunciou não fará o que você propôs de jeito nenhum.

Mas de jeito nenhum mesmo.
Você diz:

- 'Meu amor, cê anima de comer um tropeiro no Mineirão?'.
Resposta: 'nem...'
Ainda não entendeu? Uai, nem é nem.


Leitor preciso confessar algo: minha inclinação é para perdoar, com louvor, os deslizes vocabulares das mineiras.
Aliás, deslizes nada.

Só porque aqui a língua é outra, não quer dizer que a oficial esteja com a razão.
Se você, em conversa, falar:

-'Ah, fui lá comprar umas coisas...'..
- Que's coisa? - ela retrucará.
O plural dá um pulo.

Sai das coisas e vai para o 'que'!

Ouvi de uma menina culta um 'pelas metade', no lugar de 'pela metade'.

E se você acusar injustamente uma mineira, ela, chorosa, confidenciará:
- Ele pôs a culpa 'ni mim'.

A conjugação dos verbos tem lá seus mistérios, em Minas...


Ontem, uma senhora docemente me consolou:

-'preocupa não, bobo!'.
E meus ouvidos, já acostumados às ingênuas conjugações mineiras nem se espantam.
Talvez se espantassem se ouvissem um: -'não se preocupe', ou algo assim.
Fórmula mineira é sintética e diz tudo.

E para terminar , até o tchau, em Minas, é personalizado.

Ninguém diz tchau, pura e simplesmente.
Aqui se diz:

-'tchau pro cê', 'tchau pro cês'.
É útil deixar claro o destinatário do tchau...


Porque, Deus, esse sotaque!

Mineiras deviam nascer com tarja preta avisando:

'ouvi-las faz mal à saúde'...

De tão gostoso que é .

28 comentários:

  1. não gostei não. Adorei minha linda.

    ResponderExcluir
  2. Oi
    As japonesas
    sempre tem uma
    bolsa dessa a mão.
    Parabéns pelo blog
    cheio de novidades.
    Beijos...
    Lúcia.

    ResponderExcluir
  3. Oí linda! O selinho está no http://liliarteeartesanato.blogspot.com
    Vá em marcadores topico selinhos recebidos. Beijocas.

    ResponderExcluir
  4. Eu acho o máximo essas bolsas!!
    Abraços, Daniana
    http://cozinhasemdrama.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Amei esse vídeo!! Copiei o link para o caso de querer tentar fazer.
    bjk!!!

    ResponderExcluir
  6. Já tinha visto esse vídeo e gostei muito. Até salvei o vídeo pra tentar fazer.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ana,
    Muito legal esse vídeo!
    Obrigada por compartilhar a ideia!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana estou com meu croche parado, preciso voltar a fazer. Amo artesanatos

    ResponderExcluir
  9. Excelente sugestão!!!!!Muito legal e prática!!Bjão

    Obs- Tem sorteio da Mococa lá no blog!!

    ResponderExcluir
  10. Obrigada por compartilhar.
    Tem selinho pra vc no Casa Mia

    ResponderExcluir
  11. Oi Ana vc sempre inovando adorei esta bolsa e também a ideia da tampinha reciclada muito legal.
    Bom fianl de semana

    ResponderExcluir
  12. Oi Ana, acho essa bolsas japonesas um encanto,
    a começar pelo tecido sempre lindos e delicados.
    Bom final de semana , beijos.

    ResponderExcluir
  13. oi Ana.

    Muito bacana essa "bolsa". Gostei muito.

    Tem selinho para vc no meu blog. Passa lá!

    Beijos

    Regina

    ResponderExcluir
  14. Olá, Ana querida
    Gostei muito dos posts que li (os últimos) e hoje estou tentando rever os amigos antigos... saudades...
    Abraços fraternos e votos de paz.

    ResponderExcluir
  15. Ana, adorei o post, tudo muito bom.
    Vou fazer uma bolsa desta.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Outro dia vou dar uma olhada no video.... Talvez eu aprenda, pois sou lesa!!!!!!!! hehehed
    Mas, hoje sinto-me comovida com o que leio aqui, este texto do Rubem Alves... Prefiro ser louca,usar toda a capacidade da minha máquina, deixar ela se arrebentar de emoção.... prefiro isso a ser normal....

    ResponderExcluir
  17. Ana, que espetáculo! Quem gosta muito de artesanatos sabe apreciar um bom trabalho, não é mesmo?
    Bjos:

    ResponderExcluir
  18. Amei a bolsa de furoshiki,preciso muito ganhar dinheiro. Vou ver se faço algumas e se consigo vendê-las. Amei seu blog, menina! Bjo Ió

    ResponderExcluir
  19. Olá Ana, obrigada por visitar o meu Tacho.Gostei muito!
    Adorei este vídeo!
    Obrigada por compartilhar!
    Bjs
    Maria do Tacho

    ResponderExcluir
  20. Olá, querida
    Venho propor-lhe algo no meu post de hoje...
    Conto com sua participação amiga.
    Excelente semana,cheia de ricas bênçãos!!!
    Abraços fraternos

    ResponderExcluir
  21. ADOREI O VIDEO ESSE ANO VOU EMBRULHAR MEUS PRESENTES TODOS DESSA FORMA!!!

    ResponderExcluir
  22. oi
    Seja bem vinda ao MagaFood, andei olhando seu blog adorei.
    Vamos trocar muitas figurinhas
    bjao

    ResponderExcluir
  23. Cê acredita q eu nem me toquei com a tal bolsa referida pelas meninas?!?!?!kakakakakakakaka
    Tenho umas coisas esquisitas vi q vc tinha postado um texto de Rubem Alves e fui me deliciar com as palavras. rsrsrsrsrs
    Grata pelo carinho expressado, ferei por merecê-lo

    bjs, fica bem
    Namastê

    ResponderExcluir
  24. Olá meninas!
    Fiquei mto contente com a visita de todas,daria uma ótima reunião regada de pão de queijo,café,sorvete...e muita conversa boa
    com essas simpatias de pessoas que são vcs.
    Mto obrigada,voltem sempre...
    Uma semana abençoada pra todas.

    ResponderExcluir
  25. Oi,Anakoelho!!!
    Adorei a ideia do Furoshiki,muito bem explicado.
    Bjus e uma linda quarta-feira.
    Da amiga Norma.

    ResponderExcluir
  26. Então...,
    esse tempo tá meio longo, né??
    É que inventei de fazer alemão aos sábados e daí tento me poupar pra isso pois meu lado direito anda de greve mesmo. Teclar c/ 2 dedos é horrível. Pior é ter me afastado da cozinha tb pois tenho cãimbras qdo vou amassar algo. Outro dia perdi a sensibilidade da perna direita em frente ao fogão. Cai.

    Mas,...
    no final da tudo certo.
    Logo, logo voltarei assim espero!!

    bjs,
    fica bem
    Namastê

    ResponderExcluir
  27. Parabens pela estrutura e conteudo de seu blog, Forte abraço Renato Artesanato em MDF

    ResponderExcluir